TERRIBLE TWO

               Não há nada mais desgastante na relação família-filhos do que a pirraça. Desestabiliza a harmonia da casa, acaba com um momento de lazer ou nos coloca em situações constrangedoras.
           A pirraça é uma forma de comunicação que os filhos utilizam para transmitir uma mensagem aos pais. É um movimento natural da criança que busca alguma coisa e ainda não consegue colocar em palavras ou ter controle de suas vontades imediatas. Nós, do Educa, acreditamos que ouvir, entender e agir são passos importantes para promover um bom desenvolvimento emocional e social dos pequenos. Ignorar e ceder são polos perigosos que devem ser evitados. É preciso mostrar à criança que existem outros modos de expressar o que desejam. 
           Além de ser uma atitude corriqueira e natural da infância, vale a pena refletir sobre alguns pontos importantes sobre os "espetáculos de birra". Antes de programar algo, pense no QUANDO. Considerar a rotina e os hábitos do seu filho é um ótimo ponto de partida. Conhecê-lo profundamente é uma boa saída para evitar desgastes desnecessários. Se ele dorme às 21h todos os dias, planejar um evento às 22h, contando com a disponibilidade dele é um grande equívoco. A birra neste caso é praticamente um "manifesto" muito plausível, diga-se de passagem. Sabemos que  sono e fome são grandes "starts" de pirraças: tudo se amplifica, ganha volume e intensidade.
          Agora, vamos pensar sobre o ONDE. Muitos pais reclamam que mercados, shoppings e locais públicos são os preferidos para as cenas de pirraça. Já parou para pensar na razão de tanto alvoroço nestes espaços? São locais pensados para chamar a atenção, aguçar os sentidos com cheiros irresistíveis, cores vibrantes, luzes piscando, som alto. E nós, adultos? Nesses ambientes, conseguimos, na maioria das vezes, controlar nossas vontades imediatas mas seguimos hipnotizados, não interagindo muito com as crianças, enquanto eles têm a receita perfeita para dar um "ataque daqueles": muito estimulo + pouca atenção.
           E existe uma solução para esse problema? Sim. Desde pequenos devemos ensinar às crianças que a birra não é efetivamente uma maneira de se comunicar e para isso é preciso ter tranquilidade e paciência.
Texto fornecido por Educa Para Pais.
Instagram - @educaparapais
contato@educaparapais.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ADAPTAÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL

TOQUE AFETIVO

A IMPORTÂNCIA DAS FÉRIAS PARA AS CRIANÇAS